20.1.12

 CACHAÇA CINEMA CLUBE
26 de janeiro de 2012
Sessão "Eu Vim da Bahia"

Ano novo, vida nova. O primeiro Cachaça Cinema Clube do ano acontece excepcionalmente em uma quinta-feira, dia 26 de janeiro, e vem com a energia da Bahia abrir os trabalhos de um ano muito especial: o de comemoração de 10 anos do cineclube. E a baianidade chega em sua versão mais contestadora, homenageando mais uma vez o mais aguerrido dos cineastas brasileiros, Glauber Rocha. É de Glauber o documentário Jorjamado no cinema, de 1977, retrato de outro baiano fundamental na cultura brasileira, neste ano em que se comemora o centenário de nascimento do escritor. No filme, um dos seus últimos trabalhos, Glauber acompanha o amigo Jorge Amado em casa e em alguns eventos sociais, e, glauberianamente, marca presença no filme tanto quanto o retratado.

Para acompanhar tal clássico do cinema, o cineclube apresenta dois outros filmes baianos, igualmente inventivos, questionadores e premiados. O sarcófago, de Daniel Lisboa, segue Jayme Figura, um personagem mítico de Salvador, um homem que faz do próprio corpo sua obra de arte. O artista é um exato oposto da malemolência baiana, acorrentado e atormentado pelo mundo que carrega nas costas. O cenário é o Pelourinho, mas a imagem é punk rock. O curta foi eleito melhor filme no Festival Cinesquemanovo de 2011 e no 12º Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte, recebeu o prêmio da Curadoria na 10ª Mostra do Filme Livre, entre outros.


Nego fugido, de Cláudio Marques e Marília Hughes, é filme que transita entre a ficção e o documentário, explorando os limites dentre e entre cada um dos gêneros. O mote é simples e agradável: um casal de namorados, brancos e da capital, vai até uma cidade do interior documentar uma festa popular acerca da resistência negra à escravidão, já o resultado, complexo e perturbador. Dupla intensamente produtiva no novo cenário do cinema brasileiro, eles conseguem, em poucos minutos, apresentar uma série de questões centrais da cultura brasileira: as diferenças culturais, os abismos sociais, alteridade e preconceito.


Destaque

O grande homenageado da noite, Glauber Rocha, terá a exibição de seu média-metragem Jorjamado no cinema em cópia nova em película, em seu formato original 16mm. Iguaria imperdível.

Os filmes












Nego fugido, de Cláudio Marques e Marília Hughes, 2009, 16’
Brinquedo de nego forro fugido é abrir roda para mostrar que tudo é caça e caçador.













O Sarcófago, de Daniel Lisboa, 2010, 19’
Um homem e sua peleja contra o inevitável processo de corrosão da carne e a tentativa de dominá-lo, retardá-lo, ignorá-lo. Um pós-exu, um pré-cyborg que corta a cidade como uma nota rebelde de rock’n roll.














Jorjamado no cinema, de Glauber Rocha, 1977, 36’
O filme foi feito para um programa de televisão consagrado ao escritor Jorge Amado. Nesse documentário, Jorge Amado é filmado em sua casa, rodeado por sua numerosa família; numa livraria, durante uma sessão de autógrafos de um de seus livros, em um cinema em Salvador, na avant-première do filme Tenda dos Milagres, de Nelson Pereira dos Santos, adaptação do livro homônimo de Jorge Amado.

A festa

Após os filmes, degustação das tradicionais Aguardente Claudionor e batida de gengibre do Boteco Belmonte. Na pista, DJ H abre os trabalhos de 2012 com muito balangandã pra atiçar o povo e ver "O que é que a baiana tem?".

A bilheteria só funciona até às 22h. Sujeito a lotação. Evite filas: chegue cedo ou compre seu ingresso antecipado.

Serviço

Cachaça Cinema Clube
26 de janeiro de 2012, às 21h no Cinema Odeon Petrobras
Praça Floriano, 07 – Cinelândia.
Entrada: 14 reais (inteira) / 7 reais (meia)
www.cachacacinemaclube.com.br
cachacacinemaclube.blogspot.com


Um comentário:

  1. mote baiano, mas vai rolar musica baiana tbm?

    ResponderExcluir

Comente